Normas

Estimados noivos,

Acolhemos com carinho sua decisão de casar-se em nossa paróquia.

Neste documento, informamos todas as normas e orientações a respeito da celebração do matrimônio estabelecidas de acordo com as diretrizes da Arquidiocese de Londrina e pelo Conselho Administrativo de nossa Paróquia. Ressaltamos a necessidade de acolherem todas essas orientações, sem exceção, para que a cerimônia seja realizada nesta Igreja do Coração de Maria.

Ao final desta leitura, os noivos devem preencher o questionário de inscrição e trazê-lo até a secretaria paroquial, comprometendo-se em cumprir todas as normas aqui estabelecidas, para que a data seja definitivamente marcada.

I. Local da Celebração do Matrimônio

  1. O local da celebração do Matrimônio é a Igreja Paroquial. "Não se permite a celebração do Matrimônio em clubes, salões, fazendas e similares ou alguma forma de bênção pós-matrimonial(...) Em nenhum caso serão feitas exceções" (Diretrizes do Sacramento do Matrimônio, n° 21, p. 43).
  2. Embora seja recomendável que o casamento aconteça na comunidade de origem de um dos noivos, a celebração matrimonial pode ser realizada em outra Paróquia. Porém, a documentação para a habilitação matrimonial deve ser encaminhada na Paróquia onde o noivo ou a noiva estejam vinculados pela residência ou vivência da fé, que no momento oportuno fará a transferência dos documentos para o local onde a celebração será realizada.

II. Agendamento de data

Com pelo menos seis meses de antecedência da data marcada para o casamento, os noivos devem procurar a secretaria paroquial:

  1. Será feito um pré-agendamento, ou seja, apenas uma reserva de data.
  2. A reserva só será confirmada após a leitura das normas, desde que os noivos estejam de acordo e assinem o TERMO DE COMPROMISSO E RESPONSABILIDADE, para oficializarem a data. O prazo para entrega deste termo é de quinze (15) dias.
  3. A reserva fica automaticamente cancelada se esta confirmação não for feita na data determinada.
  4. No ato da apresentação do TERMO DE COMPROMISSO E RESPONSABILIDADE, será efetuado o pagamento de 50% da espórtula da cerimônia.
  5. Caso haja desistência faltando apenas três (03) meses para a celebração do casamento, esse valor não será devolvido.

III. Documentação para a Habilitação Matrimonial

Se os noivos concordarem com todas as normas estabelecidas para a realização do casamento nesta paróquia, então deverão trazer, com pelo menos seis (06) meses de antecedência da data do casamento, nunca depois de três meses:

  1. Segunda via da certidão de Batismo, com o máximo de seis (06) meses da data de emissão (a secretária paroquial pode indicar o contato com a Paróquia onde ocorreu o Batismo). Ao declarar-se católico(a) o(a) cônjuge tem que necessariamente ser batizado(a).
  2. Certificado do Encontro de Noivos. Não deixar para fazer o encontro de noivos na última hora, evitando problemas por não encontrar local e data disponíveis em tempo hábil.
  3. Edital de Proclamas (fornecido pelo cartório onde foi marcado o casamento civil).
  4. Cópia da Certidão de Nascimento.
  5. O nome e os dados pessoais de duas testemunhas que no dia da Celebração serão chamadas a assinar a habilitação matrimonial.
  6. Cópia do comprovante de residência, caso seja paroquiano (Este comprovante deve estar no nome dos noivos).
  7. Marcar entrevista com o pároco ou vigário paroquial no início do processo, ou 60 dias antes da celebração (na paróquia onde o processo está sendo montado).
  8. Informar à Secretaria Paroquial caso o casamento religioso seja com efeito civil
  9. Atestado de óbito do cônjuge (quando um dos nubentes é viúvo).

Só depois da entrega da documentação exigida é que está confirmada a realização do casamento na data marcada.
Quando um dos noivos precisar de dispensa do Arcebispo (casos de mista religião, casado anteriormente no civil, etc) solicitar informações na secretaria

Os noivos devem ainda, na mesma oportunidade:

  1. Importante: Tanto para a transferência vinda de outra Paróquia, como para processos de paroquianos, a documentação deverá ser entregue ou ficar pronta com antecedência mínima de 45 dias. O não cumprimento deste prazo poderá implicar a não realização do casamento.

IV. Horários disponíveis e Cerimônia do Casamento

  1. Horário: os dias e horários de celebração matrimonial são:
  • Às sextas-feiras, às 20:00 horas.
  • Aos sábados às 11:00 horas.
  • Aos sábados às 17:30 horas.
  • Nos demais dias não haverá casamentos.

A Igreja será aberta uma hora antes da celebração, para acomodação dos músicos, fotógrafos, cinegrafistas e convidados.

  1. Não serão abertos horários extras.
  2. Pontualidade: A cerimônia do matrimônio deverá iniciar-se, pontualmente, no horário marcado, mesmo que padrinhos e outros convidados ainda não tenham chegado. O atraso é um desrespeito ao celebrante, à comunidade, aos convidados, além de trazer transtornos para o bom prosseguimento da cerimônia. Atrasos diminuem o tempo de celebração, devido às atividades posteriores ao casamento. No caso de algum atraso, serão feitos cortes no rito da entrada, na execução das músicas e em outras partes da cerimônia, ficando apenas o rito essencial.
  3. Organização da Celebração: a organização da celebração (entradas, orientações aos padrinhos e outras providências próprias da celebração) estará sob responsabilidade da Equipe de Celebração Matrimonial da Paróquia. Não serão permitidas interferências de outras pessoas (promoters, cerimoniais e instrutores). Os noivos que desejarem ajudar no preparo da celebração (escolha de leituras e de leitores), como também de um ensaio prático para todos os aspectos da celebração religiosa, devem agendar previamente com o responsável pelo cerimonial da Igreja. O rito deverá seguir o roteiro estabelecido pela paróquia e não poderá ser alterado em hipótese alguma.
  4. O Presidente da Celebração: não sendo o pároco da Paróquia, será um outro indicado por ele. Os casamentos serão presididos sempre pelos padres da Paróquia Coração de Maria. Não serão aceitos celebrantes de outras comunidades.
  5. Ao redor do Altar (presbitério): só permanecerão o assistente da celebração (padre ou diácono), os noivos e seus pais.
  6. Padrinhos: Os padrinhos têm o compromisso de ajudar, com o exemplo, com a oração e pela amizade sincera, o casal de noivos a viverem os compromissos assumidos na fé. Por isso os padrinhos devem ser escolhidos entre as pessoas que acreditam na fé católica, tenham uma vivência na comunidade e procurem ser coerentes com sua fé cristã. Autorizamos a presença de, no máximo, seis (06) casais de padrinhos para cada lado, os quais devem chegar na Igreja com antecedência mínima de 15 minutos, a fim de receberem as orientações da entrada. Deverão sentar-se nos primeiros bancos dos lados direito e esquerdo do corredor central da Igreja. Se chegarem atrasados, deverão juntar-se aos demais seguindo pelos corredores laterais. Os trajes devem ser condizentes com o espaço sagrado. Quando o casamento tiver efeito civil os padrinhos devem ser os mesmos do religioso.
  7. Entradas: as entradas permitidas na cerimônia são:
    • Uma primeira entrada dos padrinhos, dos pais e do noivo.
    • Uma segunda entrada com a noiva.
    • Uma terceira e última entrada com pajens e daminhas, devidamente preparadas, com a aliança dos noivos e qualquer outro bem que se queira apresentar.
  8. Ao término da Celebração: no altar somente os pais dos noivos devem ser cumprimentados. O cumprimento dos padrinhos e demais convidados não será feito nem mesmo na porta de entrada, para que não prejudique as atividades da Igreja posteriores ao casamento. Os noivos devem considerar que após sua saída ainda haverá todo o trabalho de "desarranjo" da Igreja por parte da floricultura.
  9. Comunhão Eucarística: É aconselhável que os noivos recebam a santa comunhão nesse dia. Para isso, devem se preparar com um sincero exame de consciência de suas vidas, reconhecer e se arrepender de seus pecados e fazerem uma confissão sincera com um sacerdote. A comunhão é um compromisso de fé, por isso os noivos devem estar bem preparados para recebê-la, caso decidam fazê-lo.
  10. Criatividade extra Rito Sacramental: não serão aceitas, no decorrer da celebração, dentro da Igreja, ou à porta de entrada, a execução de idéias e iniciativas que não estejam previstas no rito sacramental, como: quebra de taças pelos noivos, soltar bolinhas de sabão, jogar arroz na saída dos noivos, pétalas de flores, etc... Tais práticas tornam o chão escorregadio e sujam o ambiente.

V. Músicas durante a Cerimônia

  1. Estilo das Músicas: A música e o canto fazem parte do rito do sacramento do matrimônio. Ao combinar o repertório musical, leve em consideração as seguintes orientações que devem ser rigorosamente respeitadas:
    • As músicas (cantadas ou só instrumentais) devem ser de repertório condizente com o sentido da celebração. Têm prioridade os cantos sacros e litúrgicos que são os mais adequados. Assim, ao contratar o grupo de canto, as músicas escolhidas devem ser apresentadas à Equipe de Celebração Matrimonial, com pelo menos um (01) mês de antecedência do casamento, para autorização prévia.
    • Não serão permitidas músicas cantadas em inglês ou em qualquer outra língua que não sejam em línguas latina, portuguesa, ou músicas previamente autorizadas pela Paróquia conforme relação disponível na Secretaria. Igualmente, não serão permitidas músicas com temas de novelas, filmes ou outros estilos incompatíveis com a Celebração do Sacramento do Matrimônio.
    • Evitar execuções musicais antes e depois da cerimônia. A paróquia reserva esse espaço silencioso, necessário para um recolhimento e transmissão de sua mensagem de fé. Por isso, os músicos deverão tocar somente durante a cerimônia, conforme descrito acima.
    • Equipamentos de som e instrumentos musicais são de responsabilidade dos músicos contratados. A Paróquia não disponibiliza dos mesmos.
    • Durante a celebração do matrimônio, músicos e cantores devem participar com atenção, evitando conversas, afinação de instrumentos ou outras atividades que venham a perturbar a cerimônia religiosa.
  2. Momentos das músicas:
    • Pode haver uma música durante as entradas dos pais e dos padrinhos; uma música durante a entrada do noivo; uma música durante a entrada da noiva e uma música durante a entrada das alianças.
    • Durante a bênção e entrega das alianças poderá haver um canto ou fundo musical, mas deve ser combinado antes com o celebrante.
    • Durante a comunhão eucarística dos noivos, caso seja realizada, a música deverá ser sacra ou litúrgica.
    • Pode haver um canto final, durante a saída dos noivos e dos padrinhos.
    • IMPORTANTE: os músicos não devem fazer nenhum tipo de fundo ou arranjo musical enquanto o padre (ou diácono) fala e profere orações, como na homilia, na bênção nupcial, etc...

VI. Ornamentação da Igreja (também para a Floricultura)

Os noivos devem repassar, o quanto antes, estas orientações à floricultura que irá ornamentar a Igreja.

  1. Simplicidade: a ornamentação de nossa Igreja deve ser digna, simples, elegante e sóbria. Os enfeites estejam harmonizados com o conjunto todo, respeitando o estilo do templo e o sentido da liturgia.
  2. Evitar pompas e arranjos exagerados que contenham arcos, altas colunas de flores pelo corredor central, etc... Tais arranjos, além de terem custos elevados, prejudicam a participação dos convidados, são obstáculos à visualização do altar, dos noivos e do padre (ou diácono). Os arranjos do corredor terão, no máximo, 1,50 metro de altura. Os arranjos do presbitério não devem impedir a passagem.
  3. Colocação dos Arranjos: para a colocação dos arranjos não está autorizada nenhuma modificação no interior da Igreja como: deslocamento de bancos, alterações na configuração do altar, retirada de banners, quadros, imagens etc... De forma alguma os arranjos devem ser amarrados, fixados com percevejos, ou taxas, ou colados com adesivos nos bancos, nas portas, no piso ou nas paredes.
  4. Disposição de Enfeites: as flores colocadas no corredor central não devem estar apoiadas nos bancos, nem ao menos encostadas. É proibido o uso de arames, madeiras, objetos frágeis e cortantes, como vidro, que possam danificar os bancos e ferir as pessoas. Também não é permitido colocar enfeites e nenhum outro material sobre a mesa do altar, nem em frente do Sacrário. Não será permitida a ornamentação com árvores e arbustos.
  5. Enfeites com Velas: só serão aceitas velas em enfeites que utilizem cachepô.
  6. Genuflexório para os Noivos: deve ser colocado no altar (acima das escadas), reservando o devido lugar para o assistente da celebração (padre ou diácono).
  7. Horário de Enfeite da Igreja: a floricultura escolhida deverá enfeitar a Igreja exclusivamente nos horários abaixo designados:
    • Sexta-feira, das 14:00 às 17:00 horas;
    • Sábados, das 08:00 às 10:00 horas;
    • Sábados, das 14:00 às 16:00 horas.

Não é permitido que suportes, objetos e flores fiquem armazenados no interior da Igreja antes deste horário ou após a celebração do matrimônio. Os serviços de decoração e limpeza não poderão ultrapassar o horário de trabalho dos funcionários da Paróquia (das 08:00 às 12:00 horas; das 13:30 às 17:30 horas e das 18:00 às 21:30 horas).

  1. Ao Término da Celebração: após a realização da cerimônia, os responsáveis pela floricultura e decoração deverão retirar os enfeites e limpar o piso, caso haja alguma folhagem ou flores. A floricultura deve deixar o espaço em ordem. Os arranjos do presbitério deverão permanecer na igreja, após o término da celebração.
  2. Floriculturas Credenciadas: as floriculturas que desrespeitarem estas orientações, ou criar qualquer tipo de dificuldade, não poderão mais enfeitar a Igreja em outros eventos. Antes de contratá-la, os noivos devem verificar junto à secretaria paroquial quais estão impedidas de enfeitar a Igreja.

VII. Fotógrafos e Cinegrafistas

Os noivos devem encaminhar estas orientações aos fotógrafos e cinegrafistas. A não observância implicará no impedimento de cobrir outros eventos na Paróquia. A Paróquia respeita os profissionais de iluminação, de imagem e som, portanto espera-se deles, também, o respeito e a colaboração para que a cerimônia não seja prejudicada por suas atividades e que sigam rigorosamente as seguintes normas:

  1. O altar, lugar central da celebração, permanece livre. Portanto, não se deve colocar sobre o altar qualquer tipo de equipamento como: câmera fotográfica, filmadora, lentes, caixas, papéis, anotações, etc...
  2. O presbitério (piso mais elevado do altar) é o lugar da celebração. Equipamentos fixos como tripés, colunas de refletores, etc, devem ser colocados em espaço fora do presbitério.
  3. Em hipótese alguma ocupar o lugar do celebrante. Nem mesmo antes do início da celebração.
  4. A celebração é momento dos noivos. Não se sobrepor ao celebrante nem aos noivos.
  5. A celebração é momento de diálogo com Deus. Deixar os noivos concentrados na celebração evitando chamar a atenção dos mesmos.
  6. A Palavra de Deus é sagrada. Durante a Liturgia da Palavra sem filmagem ou fotografia.
  7. Bancos e cadeiras são para sentar e estar mais cômodo na celebração. Não subir nos mesmos.
  8. Fazer o seu trabalho o mais discretamente possível, evitando o trânsito excessivo pela Igreja.
  9. Caso esteja acontecendo a celebração da Santa Missa antes do casamento, aguardar o término da mesma antes de começar a movimentação e o preparo dos equipamentos.
  10. Acender luzes e refletores somente no início da celebração.
  11. Procurar, assim que chegar à Igreja, um responsável da equipe de celebração do casamento, obtendo as informações necessárias para um bom desempenho de seus trabalhos. Nunca ligar seus equipamentos sem antes conversar com algum membro ou responsável da equipe de casamento.
  12. Não é permitida a utilização da energia da Paróquia para torres de refletores, pois a iluminação da igreja é suficiente. O profissional deve trazer bateria suficiente para seu equipamento.

VIII. Informações diversas

  1. Custos com a Celebração: o templo e tudo o que nele existe demorou anos para ser conquistado e teve um alto valor financeiro pago pela comunidade paroquial através de dízimos, doações e promoções. Há ainda as despesas ordinárias com manutenção, funcionários, material de expediente, etc... Neste sentido, a espórtula para a celebração do Matrimônio é uma colaboração dos noivos à comunidade paroquial, que construiu e mantém o templo. Normalmente a contribuição à Igreja é o menor valor diante das demais despesas do casamento. A cobrança ou isenção da taxa de celebração obedece a seguinte orientação:
  • a. A Habilitação e Celebração Matrimonial: a espórtula do casamento é de R$ xxxxxx. Ao ser confirmada a data, os noivos deverão deixar um sinal no valor de R$ xxxxxx (50% da taxa). O restante deverá ser pago até a semana do casamento.
  • b. São isentos do pagamento da espórtula do casamento os noivos paroquianos dizimistas cadastrados e ativos há, pelo menos, dois anos (24 meses).

Referente aos valores acima omitidos favor procurar a secretaria paroquial para as devidas informações.

  1. Outros Serviços prestados:
  • a. Segurança: Durante a celebração há o serviço de vigilância dos veículos estacionados dentro da área da paróquia.
  • b. Ar condicionado: Os aparelhos de ar condicionado são ligados durante os casamentos.

IX. Outras Sugestões

  1. Sobre as Leituras Bíblicas que podem ser feitas na Celebração Matrimonial:
    1. Os noivos podem escolher as leituras bíblicas a serem feitas no seu Matrimônio, indicando para a Primeira Leitura e para o Evangelho uma das referências abaixo. Para isso devem informar a secretaria paroquial, pontualmente, com até 30 dias antes da celebração. Caso não informem, o celebrante escolherá as leituras.
    2. Primeira Leitura: Gn 1,26-28.31a; Gn 2,18-24; Gn 24,48-51.58-67; Tb 7,6-14; Tb 8,4b-8; Eclo 26,1-4.16-21; Jr 31,31-34; Rm 8,31b-35.37-39; Rm 12,1-2.9-13; 1Cor 6,13c-15a.17-20; 1Cor 12,31-13,8a; Ef 4,1-6; Ef 5,2a.25-32; Fl 4,4-9; Cl 3,12-17; 1Pd 3,1-9; 1Jo 3,18-24; 1Jo 4,7-12; Ap 19,1.5-9a.
    3. Evangelho: Mt 5,1-12a; Mt 5,13-16; Mt 7,21.24-29; Mt 19,3-6; Mt 22,35-40; Mc 10,6-9; Jo 2,1-11; Jo 15,9-12; Jo 15,12-16; Jo 17,20-26.

    Qualquer exceção abre possibilidade de precedentes e faz a Paróquia cometer injustiça com os noivos que respeitaram todas as normas. Neste sentido, a fim de evitar situações desagradáveis, pedimos aos noivos, bem como a seus familiares, a gentileza de não solicitarem exceções.